Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2017

TIRE O CELULAR DAS CRIANÇAS

Assistir desenhos no celular ao comer é prática cada vez mais comum entre criançasULRICH BAUMGARTETire o celular das criançasTranstorno do déficit de atenção afeta número crescente de crianças e provoca debate a respeito do sobrediagnóstico
atenção é a janela através da qual o cérebro percebe o mundo que o rodeia. Quando a criança nasce, mal consegue direcionar seu interesse para o mundo exterior. No começo presta atenção somente a suas próprias sensações, chorando quando tem fome, sono ou frio ou quanto se sente sozinha. Aos poucos começa a fixar sua atenção nos mamilos de sua mãe, uma forma mais escura destacada no horizonte. A partir de então começa uma longa viagem, na qual a criança vai aprendendo que obedecer a certos estímulos lhe traz uma série de benefícios. Com poucas semanas a criança reconhece facilmente objetos que emitem sons ou se movem; por isso os chocalhos despertam seu interesse. Os pais usam todo tipo de brinquedo e gestos com as mãos para atrair sua atenção; daí a…

MASTURBAÇÃO INFANTIL : COMO AGIR QUANDO SEU FILHO COMEÇA A SE TOCAR ?

Masturbação infantil: como agir quando seu filho começa a se tocar?

O comportamento não deve ser reprimido e muito menos motivo para castigos.
Apesar do termo ser o mesmo ao aplicado aos adultos, a masturbação na infância não tem a ver com prazer sexual nem com orgasmos, mas como forma de descoberta e exploração do próprio corpo. Como ela não entende o significado do ato, ela muitas vezes faz em locais públicos, como na escola, ou em frente aos pais. Quando isso acontece, os pais não devem repreendê-la, como se ela estivesse fazendo algo errado, mas dialogar e explicar de forma coerente com a idade da criança, tomando muito cuidado para não reforçar estereótipos, como o de que meninas são puras e não podem fazer isso enquanto meninos devem reforçar sua sexualidade.

"Os pais podem orientar que esse tipo de toque é algo íntimo e dizer que ela pode tocar o próprio corpo, sim, mas em ambientes e momentos adequados”, orienta Maíra. Este assunto já pode ser explicado a partir dos quatro a…

PAIS & FILHOS : DIZER NÃO É DAR LIMITES ?

[Pais e Filhos] Dizer “não” é dar limites?
Muitas pessoas, ao escutarem expressões como: “Este garoto precisa de limites”; ou “Você tem que dar limite à esta criança ou à seu companheiro”, entende limite como barreira, como movimento de limitação, basicamente como se fosse um NÃO… “não faça, não pode, não vá”. Este é um equívoco. Mas então, o que são limites?Limites são marcos que sinalizam onde inicia e onde acaba algo; até onde devo e posso ir; onde e como tenho a oportunidade de conhecer algo e assim me reconhecer. Limites são referências importantíssimas para toda criança. Também para nós eles são fundamentais, para que nos coloquemos em relação ao outro ou às coisas. Limites são oportunidades riquíssimas de aprendizagem. No entanto, muitas vezes compreendemos limites como regras limitadoras e até punitivas, mas esta postura nos afasta enormemente do sentido verdadeiro do que é limite. Dizer “não” é dar limite?Você poderia estar me perguntando, então não devo dizer não? O que devo ou nã…

5 TRAUMAS INFANTIS QUE PERSISTEM NA VIDA ADULTA

© iStock Esses problemas vividos na infância deixam cicatrizes tão profundas que acabam influenciando nossa maneira de lidar com os filhos e as demais pessoas

5 traumas infantis que persistem na vida adulta 
A infância é um período crucial no desenvolvimento infantil, no qual se molda a personalidade. Muitos traumas vividos nessa fase persistem na vida adulta, e só podem ser resolvidos quando tratados por profissionais qualificados. Esses problemas vividos na infância deixam cicatrizes tão profundas que acabam influenciando nossa maneira de lidar com os filhos e as demais pessoas.

O site Psiconlinews listou cinco dos maiores traumas infantis:

1. Medo do Abandono
A solidão é o pior inimigo de quem foi abandonado ou negligenciado na infância. Quem sofreu este problema quando criança precisa trabalhar o medo da solidão.
2. Medo da rejeição
Esta é uma das feridas mais profundas, pois implica no medo de não sermos aceitos como somos. Ele pode aparecer por vários fatores, como a rejeição dos pais,…

MEDITAR EM VEZ DE MEDICAR – UMA ALTERNATIVA ÀS CRIANÇAS COM SINTOMAS DE TDAH

MEDITAR EM VEZ DE MEDICAR – UMA ALTERNATIVA ÀS CRIANÇAS COM SINTOMAS DE TDAHEm março de 2017, a pós-graduada no curso de Infância, Educação e Desenvolvimento Social do Instituto Singularidades, Vivian Garcia Garcia, apresentou uma tese interessante a respeito do uso da meditação como alternativa para crianças com sintomas ou diagnóstico de TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade). A pesquisa partiu de uma inquietação pessoal a respeito das expectativas criadas sobre os pequenos e de que maneira a medicalização intervém na autonomia que eles têm sobre os próprios corpos, além de lhes embotar a capacidade de lidar – e aprender – com questões desafiadoras da vida. Seguem abaixo algumas informações de seu trabalho, bem como experiências bem-sucedidas de práticas meditativas em escolas que surgiram ao longo da pesquisa. “A saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não consiste apenas na ausência de doença ou de enfermidade.” – Organização das Nações U…