Pular para o conteúdo principal

PAIS & FILHOS : DIZER NÃO É DAR LIMITES ?

Imagem relacionada


[Pais e Filhos] Dizer “não” é dar limites?


Muitas pessoas, ao escutarem expressões como: “Este garoto precisa de limites”; ou “Você tem que dar limite à esta criança ou à seu companheiro”, entende limite como barreira, como movimento de limitação, basicamente como se fosse um NÃO… “não faça, não pode, não vá”.
Este é um equívoco.

Mas então, o que são limites?

Limites são marcos que sinalizam onde inicia e onde acaba algo; até onde devo e posso ir; onde e como tenho a oportunidade de conhecer algo e assim me reconhecer.
Limites são referências importantíssimas para toda criança. Também para nós eles são fundamentais, para que nos coloquemos em relação ao outro ou às coisas.
Limites são oportunidades riquíssimas de aprendizagem. No entanto, muitas vezes compreendemos limites como regras limitadoras e até punitivas, mas esta postura nos afasta enormemente do sentido verdadeiro do que é limite.

Dizer “não” é dar limite?

Você poderia estar me perguntando, então não devo dizer não? O que devo ou não permitir?
O não pelo não, é na verdade, o retrato da falta de limites. Exatamente: dar limites é muito mais do que dizer “não”!
O exercício do limite inicia pelo respeito, pela percepção e pela disposição em viver o que ensinamos.
Vamos ver alguns exemplos práticos?
  1. Se falo para meus filhos que não devem pegar brinquedos dos colegas sem permissão, e eu pai, eu mãe, tomo seus brinquedos de sua mão sem lhes pedir permissão, crio uma confusão que a criança registrará e provavelmente repetirá na relação com os colegas, pois o exemplo atua no aprendizado como um registro de memória bem mais eficiente que as palavras, sobretudo se a criança for pequena.
  2. Você não entende quando seu filho adolescente ouve música alta “não respeitando” o espaço dos outros, porém não vê que quando você está assistindo ao noticiário, a novela ou a um programa que lhe interessa, aumenta o volume da TV para que o ruído do relacionamento no lar não lhe atrapalhe. Qual a diferença? Onde será que este jovem aprendeu a “aumentar o volume” a fim de satisfazer sua necessidade individual sobre a necessidade do grupo?
Agora, uma verdade bem dura para nós, pais! Aquilo que mais nos incomoda em nossos filhos, no que diz respeito aos limites, muitas vezes, é exatamente aquilo que nós fazemos com eles, com as pessoas das nossas relações e também conosco mesmo.

Queremos filhos que entendam e atendam aos limites?

Comecemos com nós mesmos! É preciso que observemos e usemos os limites como oportunidades para percebermos melhor as outras pessoas que nos cercam e com quem nos relacionamos.
Limites são referências que constroem possibilidades!

Como fazer isto com nossos filhos?

Nós conseguiremos dar limites de forma clara e segura, quando estivermos disponíveis para exercer nossa função de pai e mãe, com dedicação e responsabilidade, assumindo o lugar de quem está atento e disposto a ensinar as referências que darão sentido às situações, emoções e experiências que os filhos vivenciarem. Porém, talvez, a forma mais eficaz será nos dispormos a aprender junto com eles e trabalhar também em nós, os nossos limites.
Quando conseguirmos viver esta postura, os limites, que são como linhas sinalizadoras para a vida, se mostrarão de forma natural, interessante e leve.

Precisa de ajuda para aprender como dar limites ao seu filho?

Sim, isso é bem normal. O filósofo Cortella sabiamente nos diz que “não nascemos prontos” e essa é uma grande verdade.
Para ser pai e mãe não existe receita, então, o caminho é muito amor e muita disponibilidade de se entregar ao processo de crescer e aprender.
Fonte:https://iperoxo.com/2017/01/20/como-dar-limites-para-os-filhos/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A TABELA MONTESSORI : DESCUBRA QUAIS TAREFAS QUE SEU FILHO PODE FAZER SOZINHO E EM QUE IDADE

A Tabela Montessori: descubra quais as tarefas que seu filho pode fazer sozinho e em que idade
Todos nós queremos que os nossos filhos se tornem adultos responsáveis e educados. No entanto,a maioria dos pais passa o dia a limpar a bagunça de suas crianças.Se elas não forem ensinadas desde muito cedo a ajudar nas tarefas, dificilmente o farão quando crescerem. Maria Montessori foi uma das grandes pedagogas do século XX. Ainda hoje muitos pais seguem suas ideias para educar com sucesso as crianças usando a lógica, o bom senso e a calma. Assim, os filhos conseguem desenvolver uma personalidade harmoniosa e equilibrada. Para conseguir isso, a escola Montessori criou uma tabela de tarefas de acordo com a idade de cada criança. A maioria são afazeres domésticos. O cumprimento destas tarefas irá ajudar os mais pequenos a desenvolver o seu pragmatismo, habilidades motoras e experiência sensorial, fazendo-os sentir úteis e importantes.
Fonte:http://blogsupermae.com/a-tabela-montessori-descubra-quai…

O SEGREDO DA RESILIÊNCIA : COMO CRIANÇAS DE LARES DISFUNCIONAIS SE TORNAM ADULTOS DE SUCESSO

O SEGREDO DA RESILIÊNCIA: COMO CRIANÇAS DE LARES DISFUNCIONAIS SE TORNAM ADULTOS DE SUCESSO
PORAna Carolina Leonardi Com mais de 60 anos de duração, estudo ainda ajuda a entender como seres humanos se adaptam a situações adversas. Praticamente toda a criança que nasceu na ilha de Kauai, no Havaí, no ano de 1955, já ouviu falar nas psicólogas Emmy Werner e Ruth Smith. As duas acompanharam quase 700 bebês para entender como a infância molda a vida adulta das pessoas. Mais de 60 anos depois, o estudo continua – e ainda dá pistas de como as crianças com infâncias de “alto risco” são capazes de se tornar adultos emocionalmente equilibrados e realizados Os bebês havaianos dos anos 50 foram divididos em dois grupos. Aqueles que estavam no primeiro tinham condições favoráveis de desenvolvimento, como uma família estruturada e amorosa e estabilidade financeira. No outro grupo, estavam as crianças de famílias muito pobres, cujas mães passaram por estresses perto da data do parto. Doenças na família,…

NUNCA TIVEMOS UMA GERAÇÃO TÃO TRISTE - AUGUSTO CURY

Nunca Tivemos Uma Geração Tão Triste - AUGUSTO CURY
Augusto Cury, o famoso psiquiatra que tem livros publicados em mais de 70 países e dá palestras para multidões no Brasil e lá fora, lançou recentemente uma versão para crianças e adolescentes  do seu best-seller Ansiedade – Como Enfrentar o Mal do Século.

Excesso de estímulos “Estamos assistindo ao assassinato coletivo da infância das crianças e da juventude dos adolescentes no mundo todo. Nós alteramos o ritmo de construção dos pensamentos por meio do excesso de estímulos, sejam presentes a todo momento, seja acesso ilimitado a smartphones, redes sociais, jogos de videogame ou excesso de TV. Eles estão perdendo as habilidades sócio-emocionais mais importantes: se colocar no lugar do outro, pensar antes de agir, expor e não impor as ideias, aprender a arte de agradecer. É preciso ensiná-los a proteger a emoção para que fiquem livres de transtornos psíquicos. Eles necessitam  gerenciar os pensamentos para prevenir a ansiedade. Ter consciê…