Pular para o conteúdo principal

PEQUENOS ADULTOS : CRIANÇAS QUE SABEM O QUE OS ADULTOS IGNORAM

Pequenos adultos: crianças que sabem o que os adultos ignoram


Pequenos adultos: crianças que sabem o que os adultos ignoram

Elas são apenas crianças, mas cresceram e amadureceram mais cedo do que o esperado. Embora o seu corpo seja pequeno e ainda esteja em desenvolvimento, dentro delas existem pequenos adultos que sabem muito mais do que acreditamos ou pensamos. Elas sofrem, vivem e padecem as experiências dos adultos. Elas foram empurrados para assumir responsabilidades muito pesadas para a sua idade.
Muitos pais fecham os olhos para os problemas dos seus filhos, ou melhor, para os seus problemas que acabam afetando as crianças. As suas frustrações, as suas dores, as suas dificuldades, tudo isso afeta as crianças e os adultos não estão cientes disso.
Talvez você tenha sido uma criança que não precisou crescer precocemente. Talvez você nunca tenha sido atingido pelas complicações e dificuldades do seu ambiente. Mas para muitas crianças não havia outra escolha. Elas não podiam simplesmente ignorar a situação e viver a sua infância como se fossem crianças normais.

Jovens adultos em um mundo difícil

Você pode estar se lembrando daqueles momentos nos quais era repreendido porque estava agindo como uma criança! Com certeza você já ouviu frases como “pare de pular”, “comporte-se como um adulto” e, no caso das meninas, “pare de agir como um menino”.
Parece que pular e brincar não é bem visto. Desde pequenos nos censuram por fazermos coisas que, na realidade, “são coisas de crianças”. Por que nos “obrigam” a crescer? Por que nos repreendem por agirmos como realmente somos? Mesmo sendo pequenos nos ensinam que é melhor crescer e amadurecer rapidamente. Mas, às vezes, esta situação é mais acentuada.
olhar-menino
Problemas de relacionamento entre os pais, situações abusivas, exigir demais das crianças, discutir na frente delas, tudo isso as marca e as influencia. Pessoalmente, eu me lembro da situação de uma amiga que me contou que, quando era pequena, viveu uma situação muito tensa entre os seus pais, onde a infidelidade foi a principal protagonista.
Nenhuma criança deve ser uma vítima dos problemas dos seus pais, nem responsável por eles.
 Ela entendia tudo, mas a tratavam como uma “boba”. Ela viveu os monitoramentos, seguindo com o carro para descobrir onde estava a infidelidade, discussões no meio da noite que a acordavam e a faziam chorar, situações de abuso físico e psicológico que via com seus próprios olhos. Inclusive precisou exercer a função de mediadora entre seus pais.

Ela tinha apenas oito anos

Ela se lembra perfeitamente de uma frase que seu pai disse em voz alta para a sua avó. Uma pequena frase que a fez perceber o quanto os adultos podem estar errados: “Deixe a criança em paz, ela não entende nada”.
Muitos anos mais tarde, essa situação conflituosa mostrou os seus efeitos indesejados. Ela se transformou em uma pessoa dependente emocionalmente e se envolveu em vários relacionamentos tóxicos, além da terrível falta de autoestima e insegurança que este fato trouxe para a sua vida adulta.

As crianças entendem tudo

As crianças entendem tudo, não são estúpidas como adultos acreditam que são. Por isso, muitas vezes as ignoramos e fazemos com que vivam cenas como as descritas acima. Tudo isso tem consequências para elas e, como pais, é nossa responsabilidade impedir que isto aconteça.
crianca-olhar
Vejamos uma situação completamente diferente: os países pobres onde as crianças estão começando a trabalhar muito jovens para ajudar a família. Elas são apenas crianças, mas agem como adultas. Elas não escolheram, a vida as levou a assumir a responsabilidade por situações que não deveriam ter em suas mãos.
À medida que crescem, são bons em ouvir os outros e se sentem um pouco deslocados em relação às pessoas da mesma idade. Elas são muito mais maduras, cresceram psicologicamente, embora sejam crianças no aspecto físico. As experiências marcaram a sua vida e isto causa essa sensação de “ser diferente” dos demais.
Permita queDevemos permitir que as crianças sejam crianças e comportem-se como crianças. Elas nunca deveriam viver situações que poderiam afetá-las no futuro, especialmente se pudermos evitar. Mas, sobretudo, é nosso dever banir das nossas mentes a ideia de que as crianças não entendem o mundo dos adultos, porque muitas vezes elas entendem muito mais do que pensamos.
crianças-campo
Subestimar o que uma criança pode ou não compreender pode causar muito sofrimento. Em vez de garantir seu bem-estar, fazemos com que participe de circunstâncias que, de uma forma ou de outra, acabarão marcando a sua vida. O seu futuro será muito influenciado por aquilo que vivem hoje, de modo que está em nossas mãos cuidar delas com muito carinho e atenção. as crianças sejam crianças, porque esta etapa só se vive uma vez na vida.
 Fonte:https://amenteemaravilhosa.com.br/pequenos-adultos-criancas/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A TABELA MONTESSORI : DESCUBRA QUAIS TAREFAS QUE SEU FILHO PODE FAZER SOZINHO E EM QUE IDADE

A Tabela Montessori: descubra quais as tarefas que seu filho pode fazer sozinho e em que idade
Todos nós queremos que os nossos filhos se tornem adultos responsáveis e educados. No entanto,a maioria dos pais passa o dia a limpar a bagunça de suas crianças.Se elas não forem ensinadas desde muito cedo a ajudar nas tarefas, dificilmente o farão quando crescerem. Maria Montessori foi uma das grandes pedagogas do século XX. Ainda hoje muitos pais seguem suas ideias para educar com sucesso as crianças usando a lógica, o bom senso e a calma. Assim, os filhos conseguem desenvolver uma personalidade harmoniosa e equilibrada. Para conseguir isso, a escola Montessori criou uma tabela de tarefas de acordo com a idade de cada criança. A maioria são afazeres domésticos. O cumprimento destas tarefas irá ajudar os mais pequenos a desenvolver o seu pragmatismo, habilidades motoras e experiência sensorial, fazendo-os sentir úteis e importantes.
Fonte:http://blogsupermae.com/a-tabela-montessori-descubra-quai…

O SEGREDO DA RESILIÊNCIA : COMO CRIANÇAS DE LARES DISFUNCIONAIS SE TORNAM ADULTOS DE SUCESSO

O SEGREDO DA RESILIÊNCIA: COMO CRIANÇAS DE LARES DISFUNCIONAIS SE TORNAM ADULTOS DE SUCESSO
PORAna Carolina Leonardi Com mais de 60 anos de duração, estudo ainda ajuda a entender como seres humanos se adaptam a situações adversas. Praticamente toda a criança que nasceu na ilha de Kauai, no Havaí, no ano de 1955, já ouviu falar nas psicólogas Emmy Werner e Ruth Smith. As duas acompanharam quase 700 bebês para entender como a infância molda a vida adulta das pessoas. Mais de 60 anos depois, o estudo continua – e ainda dá pistas de como as crianças com infâncias de “alto risco” são capazes de se tornar adultos emocionalmente equilibrados e realizados Os bebês havaianos dos anos 50 foram divididos em dois grupos. Aqueles que estavam no primeiro tinham condições favoráveis de desenvolvimento, como uma família estruturada e amorosa e estabilidade financeira. No outro grupo, estavam as crianças de famílias muito pobres, cujas mães passaram por estresses perto da data do parto. Doenças na família,…

BENEFÍCIOS DO BANHO COM OS PAIS DESDE OS PRIMEIROS MESES DE VIDA

Benefícios do banho com os pais desde os primeiros meses de vida No último mês, a apresentadora Bela Gil postou uma imagem em seu perfil do Instagram em que aparece no chuveiro com seu filho Nino, então com 4 meses de vida. A foto abriu espaço para discussão, pois muitos seguidores se perguntaram se o método seria seguro.
O questionamento não é à toa, já que os primeiros banhos do bebê podem ser muito desafiadores para as mamães de primeira viagem. É tanta coisa para fazer ao mesmo tempo e um corpinho tão frágil para segurar que esse processo pode mesmo dar medo no início. Mas, então, se o tradicional momento na banheira já demanda tanto cuidado, e o banho no chuveiro, com água corrente e o corpo do bebê colado ao do pai ou da mãe, assim como Bela Gil fez com seu pequeno?
“A própria imaturidade neurológica e a pouca força muscular dificultam o processo, pois o bebê não se sustenta e não é capaz de segurar a própria cabeça. Os pais, portanto, além de higienizá-lo, vão precisar sustentar …