Pular para o conteúdo principal

BENEFÍCIOS DO BANHO COM OS PAIS DESDE OS PRIMEIROS MESES DE VIDA

Resultado de imagem para PAIS E FILHOS TOMAM BANHOS JUNTOS

Benefícios do banho com os pais desde os primeiros meses de vida 

No último mês, a apresentadora Bela Gil postou uma imagem em seu perfil do Instagram em que aparece no chuveiro com seu filho Nino, então com 4 meses de vida. A foto abriu espaço para discussão, pois muitos seguidores se perguntaram se o método seria seguro.
O questionamento não é à toa, já que os primeiros banhos do bebê podem ser muito desafiadores para as mamães de primeira viagem. É tanta coisa para fazer ao mesmo tempo e um corpinho tão frágil para segurar que esse processo pode mesmo dar medo no início. Mas, então, se o tradicional momento na banheira já demanda tanto cuidado, e o banho no chuveiro, com água corrente e o corpo do bebê colado ao do pai ou da mãe, assim como Bela Gil fez com seu pequeno?
“A própria imaturidade neurológica e a pouca força muscular dificultam o processo, pois o bebê não se sustenta e não é capaz de segurar a própria cabeça. Os pais, portanto, além de higienizá-lo, vão precisar sustentar o corpo e a cabeça dele durante o banho”, explica André Dutra, pediatra da maternidade Pro Matre Paulista, em São Paulo.
Então, é tudo uma questão de prática. Manter o pequeno no colo de forma segura e desenvolver uma maneira de fazer a higiene corretamente, mas sempre deixando o bebê bem firme em seus braços, pode proporcionar uma experiência relaxante para o seu filhote e alguns minutos de conexão entre vocês, assim como esse registro fofo do Marcelo Marins e sua pequena Anna Izabel, fruto do casamento com a atriz Carolina Ferraz.
Bela Gil e o filho Nino© image/jpeg Bela Gil e o filho Nino
“Como a mãe já amamenta, esse pode ser um momento do pai. O banho deve ser feito com gestos lentos e muito, muito carinho. É esse contato pele a pele que vai criar um vínculo ainda mais forte entre eles. O bebê adora esse momento e acaba dormindo grudadinho ao pai com o chuveiro nas costas”, diz Stéphanie Sapin-Lignières, autora do livro Nasceu, e agora?, publicação em que reuniu todo o conhecimento que adquiriu ao longo de seu trabalho como monitora perinatal. “O único cuidado é não ensaboar o bebê todo de uma vez, para poder segurá-lo mais facilmente, lavando e enxaguando parte por parte. Apesar do medo que as pessoas têm, em 37 anos de profissão e mais de 6 mil casais com os quais trabalhei, nunca soube de um bebê que tenha caído”, ressalta.
Stéphanie recomenda, ainda, que o banho faça parte de uma espécie de ritual que leva a criança para o sono e que, para isso, seja dado à noite. “Desde o nascimento, é interessante criar esse hábito: banho, pijama e cama. Não importa se a criança tem um mês, um ano ou dez, ele deve continuar. Além disso, o banho do bebê deve ser um momento de puro prazer, seja na banheira ou no chuveiro, principalmente nessa época em que vivemos em que se corre atrás do tempo e tudo precisa ser feito de forma rápida e eficiente”.


O banho com as crianças e a nudez

Além dessas questões práticas de segurança, a ideia de entrar no chuveiro com os pequenos desperta certa contrariedade em muitos pais. É importante lembrar, porém, que os hábitos dentro de casa e a forma de lidar com a nudez é uma questão que cabe a cada família. Isso significa que não existe um jeito “correto” de agir – o certo é aquilo que faz com que vocês se sintam bem.
Conforme as crianças crescem e já conseguem ficar em pé no chuveiro, a presença dos pais e o auxílio para fazer a higiene adequada ainda é indispensável por vários anos. “Com o crescimento, eles vão ganhando habilidades motoras e maior autonomia para executar as atividades do dia a dia. O banho é uma delas, que passa a ser executado de forma mais independente. É por volta dos 4 ou 5 anos que vêm a compreensão e as habilidades necessárias para tomar banho de forma segura, mas esse deve ser um processo supervisionado no início, até que se ganhe confiança por parte dos dois lados com o passar do tempo”, orienta Dutra.
Mais do que isso, porém, o banho pode ser uma hora de descontração e brincadeira entre pais e filhos. E, longe do julgamento moral, cada família desenvolve os seus costumes e os estende por quanto tempo for preciso – ou desejado! “Não existe uma recomendação técnica, essa é uma questão cultural e que varia de acordo com os hábitos familiares”, esclarece o especialista da Pro Matre.
“Esse processo acontece de forma natural e não cria nenhum tipo de constrangimento. Pelo contrário, já que a criança vê o corpo dos pais sem qualquer estranheza. Às vezes, ela faz perguntas do tipo ‘por que nossos corpos são diferentes?’, que devem ser respondidas naturalmente”, conclui Stéphanie.

Fonte:http://www.msn.com/pt-br/saude/medicina/benef%c3%adcios-do-banho-com-os-pais-desde-os-primeiros-meses-de-vida/ar-AAk6fpI?li=AAggPNl

Resultado de imagem para PAIS E FILHOS TOMAM BANHOS JUNTOS

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A TABELA MONTESSORI : DESCUBRA QUAIS TAREFAS QUE SEU FILHO PODE FAZER SOZINHO E EM QUE IDADE

A Tabela Montessori: descubra quais as tarefas que seu filho pode fazer sozinho e em que idade
Todos nós queremos que os nossos filhos se tornem adultos responsáveis e educados. No entanto,a maioria dos pais passa o dia a limpar a bagunça de suas crianças.Se elas não forem ensinadas desde muito cedo a ajudar nas tarefas, dificilmente o farão quando crescerem. Maria Montessori foi uma das grandes pedagogas do século XX. Ainda hoje muitos pais seguem suas ideias para educar com sucesso as crianças usando a lógica, o bom senso e a calma. Assim, os filhos conseguem desenvolver uma personalidade harmoniosa e equilibrada. Para conseguir isso, a escola Montessori criou uma tabela de tarefas de acordo com a idade de cada criança. A maioria são afazeres domésticos. O cumprimento destas tarefas irá ajudar os mais pequenos a desenvolver o seu pragmatismo, habilidades motoras e experiência sensorial, fazendo-os sentir úteis e importantes.
Fonte:http://blogsupermae.com/a-tabela-montessori-descubra-quai…

O SEGREDO DA RESILIÊNCIA : COMO CRIANÇAS DE LARES DISFUNCIONAIS SE TORNAM ADULTOS DE SUCESSO

O SEGREDO DA RESILIÊNCIA: COMO CRIANÇAS DE LARES DISFUNCIONAIS SE TORNAM ADULTOS DE SUCESSO
PORAna Carolina Leonardi Com mais de 60 anos de duração, estudo ainda ajuda a entender como seres humanos se adaptam a situações adversas. Praticamente toda a criança que nasceu na ilha de Kauai, no Havaí, no ano de 1955, já ouviu falar nas psicólogas Emmy Werner e Ruth Smith. As duas acompanharam quase 700 bebês para entender como a infância molda a vida adulta das pessoas. Mais de 60 anos depois, o estudo continua – e ainda dá pistas de como as crianças com infâncias de “alto risco” são capazes de se tornar adultos emocionalmente equilibrados e realizados Os bebês havaianos dos anos 50 foram divididos em dois grupos. Aqueles que estavam no primeiro tinham condições favoráveis de desenvolvimento, como uma família estruturada e amorosa e estabilidade financeira. No outro grupo, estavam as crianças de famílias muito pobres, cujas mães passaram por estresses perto da data do parto. Doenças na família,…

NUNCA TIVEMOS UMA GERAÇÃO TÃO TRISTE - AUGUSTO CURY

Nunca Tivemos Uma Geração Tão Triste - AUGUSTO CURY
Augusto Cury, o famoso psiquiatra que tem livros publicados em mais de 70 países e dá palestras para multidões no Brasil e lá fora, lançou recentemente uma versão para crianças e adolescentes  do seu best-seller Ansiedade – Como Enfrentar o Mal do Século.

Excesso de estímulos “Estamos assistindo ao assassinato coletivo da infância das crianças e da juventude dos adolescentes no mundo todo. Nós alteramos o ritmo de construção dos pensamentos por meio do excesso de estímulos, sejam presentes a todo momento, seja acesso ilimitado a smartphones, redes sociais, jogos de videogame ou excesso de TV. Eles estão perdendo as habilidades sócio-emocionais mais importantes: se colocar no lugar do outro, pensar antes de agir, expor e não impor as ideias, aprender a arte de agradecer. É preciso ensiná-los a proteger a emoção para que fiquem livres de transtornos psíquicos. Eles necessitam  gerenciar os pensamentos para prevenir a ansiedade. Ter consciê…